terça-feira, 21 de abril de 2009

Processo de criação "Amazônia Adentro"




A cia. Conto em Cantos desde 2005 trabalha com o público infantil contando histórias e desenvolvendo atividades de arte-educação. A partir dessa experiência pensamos em unir nossa vivência como atrizes para a criação de espetáculos que narrassem histórias (conservando a linguagem narrativa) com uma preocupação estética mais atrelada à linguagem teatral.
Criamos ao longo destes anos cinco espetáculos que reúnem histórias em torno de um tema/idéia: “Contos Brasileiros”; “Contos de Encantamento”; Diversas Histórias”; “Quatro Contos do Mundo” e “Contos de Meio Ambiente”. Chamamos as apresesentações de espetáculos de histórias porque acreditamos que eles trazem elementos bem teatrais como: momentos em que os personagens contracenam e dialogam, escolhas de marcação gestual e vocal, e a própria necessidade do uso do cenário e figurino pra contar a história. Os espetáculos se distanciam da apresentação do contador de histórias essencialmente por seu caráter cênico. Porém guardam muitas características desta arte como por exemplo: a relação direta com a platéia, o texto épico, a presença das narradoras.
Para Patrice Pavis o teatro-narrativa é definido como:
“Forma de texto e/ou encenação que usa materiais narrativos não-dramáticos (romances, poemas, textos diversos) não estruturando-os em função de personagens ou de situações dramáticas. O teatro-narrativa acentua o papel de narrador do ator , evitando qualquer identificação com uma personagem e estimulando a multiplicação das vozes narrativas.”
(Pavis, Patrice. Dicionário de Teatro. Perspectiva. São Paulo, 2005. p396).
Percebemos então quão tênue é esta linha que separa o teatro e a narração de histórias. Principalmente no momento em que o teatro explodiu as regras e fórmulas da forma dramática.
Em dezembro de 2008 e janeiro de 2009 visitamos e contamos histórias em comunidades ribeirinhas na periferia de Manaus (AM) com a parceria da campanha Amigos do Papai Noel. Ficamos atordoadas com essa experiência! Conhecer de fato não só as belezas naturais dessa região mas entrar em contato com a cultura local, os hábitos, as tradições e histórias da região nos motivou a criação de um novo espetáculo inspirado neste imaginário amazônico.
Imbuídas de sonhos, lembranças, histórias vividas e das sensações voltamos pra São Paulo prontas para trabalhar em cima deste imaginário na criação de um espetáculo para todas as idades. O projeto se chamou “Amazônia Adentro”, porque temos vontade de que o público conheça outros aspectos da região amazônica, desconhecidos no sudeste do país. É como se conduzíssemos o público pra esse lugar, como se adentrássemos juntos a região amazônica e compartilhássemos não só as histórias caboclas, mas também um pouco dos espelhos d´água, dos cheiros das frutas, das cores e dos sons da mata.
Dessa vez, procuramos inovar os caminhos, rompendo com os modelos já descobertos pela cia. Se antes, a narrativa estava atrelada ao espetáculo por meio do texto essencialmente épico, agora o desejo é de misturar ainda mais no texto o épico e o dramático.
Desde de março de 2009 começamos o trabalho de pesquisa para construção da narrativa. Com a direção de Solange Dias, que também é responsável pela coordenação e criação da dramaturgia, selecionamos histórias e esboçamos situações e personagens que podem vir a ser a espinha dorsal do espetáculo.
O momento é de muita expectativa e criatividade.
Nossa próxima etapa será a fase de experimentação dessa espinha dorsal na sala de ensaio, quando nascem novos olhares sobre a obra a partir do confronto entre a dramaturgia esboçada e a criação das atrizes.